Perceber o desconserto do mundo não é uma questão de idade…

Por Karine Aragão*

Se você já viveu a experiência de abrir seu coração para algum amigo e, em troca, ouvir a cortante frase “Para de bobeira, isso é exagero” vai compartilhar desse meu sentimento, uma mistura de raiva e de indignação, possivelmente, transformadas em fim de amizade. Não interessa se você está falando sobre a ponta da unha que descascou ou sobre a crescente quantidade de pessoas dormindo pelas ruas de Niterói, a vontade é gritar pro mundo que a importância dessas questões em sua vida deve ser respeitada. Seria ilusão nossa achar que, quando pronunciamos essa mesma frase para um adolescente, que está nos confidenciando um momento de dor, a cabeça dele percorre um caminho diferente. Goste você, ou não, as angústias que podem caber em um coração não se medem pela idade.

Costumo dizer que evitar menosprezar as emoções de um adolescente é o primeiro passo para se aproximar dele. Muitos pais reclamam da muralha que seus filhos constroem em relação a eles, sem se darem conta de que são os principais responsáveis por essa distância. Perceba que em momento algum minha ideia é a favor de uma criação permissiva, em que tudo seja possível. Apenas ressalto o quanto é fundamental que o adolescente possa enxergar em alguém a receptibilidade necessária para ser ouvido sem críticas, sem expectativas, sem julgamentos. O melhor é que esse alguém seja você, já que o amor é premissa fundamental para um diálogo verdadeiro e sincero. Em vez de tentar dizer por qual rumo ele deve seguir, apenas o acolha. Uma conversa em que os olhares se cruzam, muitas vezes, é a melhor bússola que se pode ter.

Não é necessário que você minta pra ele e lhe diga que os problemas irão acabar, que um dia a vida se tornará perfeita e que tudo seguirá numa estabilidade como se ele estivesse sempre sentado no sofá. Muito mais importante do que sair correndo na frente para retirar os contrapassos dos caminhos de um adolescente é fazê-lo ter a certeza de que você está junto a ele e que, quando, inevitavelmente, tropeçar e cair, a sua mão o impulsionará novamente para uma outra estrada. Esteja ao lado dele para lhe mostrar que existem dias mais difíceis que os outros, mas, também, que não faltarão dias mais felizes. As frustrações estão aí, a vida quase nunca corre como a gente planeja… É bom que desde cedo possamos nos deparar com a realidade, pois, aos trinta, aos quarenta, a ruptura do mundo ideal pode machucar mais.

A gente não pode fingir que o que acontece dentro da nossa cabeça não incomoda, não desajusta. A gente não pode ter medo ou vergonha de procurar ajuda. Se você notar que seu filho precisa de um profissional de saúde, não hesite em conversar com um. É fundamental não querer resolver essa questão sozinho ou esconder a situação por achar que, de alguma forma, significaria uma falha como mãe. O mundo está desconsertado mesmo, estranho é quem não sente nada sobre isso…


*Karine Aragão, 30 anos, é mestre em Literatura Brasileira pela Universidade Federal Fluminense (UFF), doutora em Cultura Contemporânea pela Pontifícia Universidade Católica do Rio de Janeiro (PUC-Rio) e professora de jovens na cidade de Niterói.

A professora e escritora lança no dia 05 de novembro de 2016 o romance A Teia dos Sonhos, sob o selo da Editora Muiraquitã, na livraria EdUFF, em Niterói.

Book trailer:

Evento de lançamento do livro A Teia dos Sonhos
Dia 05 de novembro de 2016 – às 17 horas
Livraria EdUUF
Rua Miguel de Frias, 09 – Icaraí – Niterói.
Desconto especial para pré venda:
APROVEITE: 10% de desconto para quem comprar antes do lançamento (05/11/16)*
* Retirada apenas no evento de lançamento, ou envios via correios após dia 05/11/16.
Fanpage do livro: http://www.facebook.com/pg/ateiadossonhos
Página de venda: http://editoramuiraquita.lojaintegrada.com.br/a-teia-dos-sonhos

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *