Resoluções de Fim de Ano

Por Roberta de Souzabeta.souza@balzaqueando.com

Marta, fotógrafa, 34 anos, separada, sem filhos…

Depois de muito querer, de se esforçar, lutar, nadar para se manter à tona, no turbilhão que era o mar revolto em que ela vivia, Marta se viu cansada. 2016 chegara ao fim. Seu casamento chegara ao fim. E ela precisava recomeçar.

Nada diferente do que muitas das balzaquianas do Século XXI vivem…

Comum, Marta se olhava no espelho e pensava:

E agora neguinha? Como vai ser isso? Resoluções de fim de ano? Celebrar 2017, ou dormir como se o fim batesse à porta? Já faz tempo que você está só… Chegou a hora de seguir em frente. Mas, cadê a força?

Sem querer se entregar, Marta sacode os pensamentos ruins da mente.

Nenhum relacionamento malfadado merece isso. Levanta a cabeça mulher!

Checando seus e-mails, Marta percebe que sua virada de ano poderá ser bem interessante. Um famoso membro da sociedade carioca a quer como fotógrafa em sua festa de Ano Novo.

Opa! Não gosto de trabalhar na virada, mas vamos lá! Ver gente bonita, estar entre pessoas importantes, famosos… Isso que eu preciso! Nada de receber 2017 bebendo cidra e chorando nos ombros das amigas felizes. Nada de estragar a festa de ninguém. Trabalhar! Isso! É exatamente o que preciso.

Chegando à cobertura na praia de Copacabana de seu cliente, Marta organiza seu material, respira fundo e começa a buscar bons e diferentes quadros para suas fotos. Vestida de forma discreta, simples, porém elegante, ela começa a circular entre os convidados. Tanta gente bonita! Tantos sorrisos, flertes, celebrações, sonhos, desejos…

Quase chegando a hora da virada, um belo moreno, chega próximo a Marta e diz:

Oi, você poderia tirar umas fotos nossas no terraço?

Marta, distraída, olha nos olhos daquele ilustre desconhecido e leva um choque! Que homem lindo! Imediatamente seu rosto a entrega, o calor sobe como fogo, ela abaixa os olhos e o homem sorri. Ela o segue e começa a fotografar o grupo animado, já meio alto, o álcool começando a fazer efeito. A cada sorriso aberto daquele homem, a eletricidade tomava conta de seu corpo.

Após os registros animado e felizes da festa, cansada, Marta segue ao pequeno quarto onde ficaram suas coisas para seguir pra casa, uma bela garrafa de vinho a aguardava. Assim ela pretendia receber seu novo ano.

Ao entrar no quarto, ela percebe que o belo moreno a seguia. Entrou no quarto atrás dela, trancou a porta, e, sem falar nada, sem deixar que ela falasse, olhou em seus olhos, abriu seu enorme sorriso e, delicadamente, buscou em Marta aquilo que ansiava…

Inicialmente a mente da fotógrafa gritava: Perigo! Perigo! Sai daí maluca! Olha a merda que você vai fazer!

Porém, cansada de ser a correta, a consciente, a mulher modelo, Marta fechou os olhos e se entregou aos prazeres que aquele homem lindo oferecia a ela.

Alguns dias depois, Marta se depara com uma foto enorme de seu ilustre desconhecido. Ela congela. Sua amiga estranha a atitude da fotógrafa e diz:

Ei doida, agora a moda é virar estátua no meio da rua?

Mila, quem é esse ai?

Ah, esse é o queridinho da vez das telinhas. Todo mundo está falando dele. Será o protagonista da nova novela.

Respirando fundo, Marta se refaz e segue seu caminho… Meu Deus! Sério isso? Se eu contar ninguém vai acreditar…

Assim, Marta, que nunca gostou muito de TV, passou a assistir diariamente a nova novela onde ela se deliciava todos os dias com o seu ilustre não mais desconhecido.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *