Transporte com carinho

Por Daniele Globo – daniglobo@balzaqueando.com

Ao decidir levar sua família e seu animalzinho de férias por aí, não basta colocar todo mundo no carro e cair na estrada. Alguns cuidados precisam ser tomados para evitar transtornos.

Carregar animais soltos dentro do carro é perigoso para o motorista, pois eles se agitam com facilidade e podem interferir na concentração do condutor ou até mesmo atrapalhar alguma manobra ou movimento; e também, para o próprio pet, que pode acabar se machucando em freadas bruscas e colisões.

O ideal é que os pets fiquem presos a cintos especiais, casinhas ou cadeiras adequadas, sempre no banco de trás. Há no mercado atualmente diversos equipamentos que auxiliam no transporte, que além de deixá-los mais seguros, os deixam também mais confortáveis. Para gatos e cães pequenos, o ideal é a utilização de caixas próprias para transporte. Já para animais maiores, o ideal é a coleira que se adapta ao cinto de segurança.

Os vidros não devem ficar completamente abertos (vai que seu bichinho resolver pular?), mas também não podem ficar fechados, evitando a ventilação. Mas, de qualquer forma, a cabeça do pet deve ficar totalmente dentro do carro para que ele não seja atingido por objetos e até mesmo por outros veículos.

ALGUMAS DICAS E BOA VIAGEM:
1º – Não dê ração ou qualquer tipo de alimento ao cachorro quatro horas antes do percurso, e água uma hora antes. Em caso de gato, o jejum é de duas horas antes do percurso.

2º – De duas em duas horas, pare o automóvel e desça com o cão para possíveis necessidades fisiológicas. No caso dos felinos, que são mais estressados, a história é outra. Eles não devem sair do carro, pois podem se assustar e fugir. Coloque uma caixinha com areia sanitária e água dentro do veículo.

3º – É obrigatório levar a carteira de vacinação e um Atestado de Trânsito emitido por um veterinário (chamada guia de trânsito). Então, não deixe de consultar o veterinário antes de viajar.

4º – Viaje a noite ou logo no início da manhã, quando a temperatura é mais amena. Deixe sempre o veículo bem ventilado, para o bichinho não sofrer de hipertermia, o que pode levá-lo à morte.

NÃO LEVE: animais como peixes, aves, roedores e tartarugas devem ser transportados apenas em caso de extrema necessidade, porque eles se estressam muito durante o trajeto.

Fonte:
Let’s Informativo


Legislação
Para quem não está a fim de levar multa, o Código Brasileiro de Trânsito estabelece dois artigos importantes quanto ao transporte de animais:

Art. 235. Conduzir pessoas, animais ou carga nas partes externas do veículo, salvo nos casos devidamente autorizados. (Infração grave)

Art. 252. Dirigir o veículo:
II – transportando pessoas, animais ou volume à sua esquerda ou entre os braços e pernas. (Infração Média)

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *