Poetisa carioca luta contra Transtorno Afetivo Bipolar

Por Roberta de Souza – beta.souza@balzaqueando.com

A escritora e analista judiciária Ananita Rebouças, de 43 anos, admite sofrer de Transtorno Afetivo Bipolar.

Os Escritos e Rabiscos do blog de Ana Paula Rebouças Ferreira, mais conhecida como a poetisa Ananita Rebouças, criaram asas e saíram da web direto para as páginas do livro Amores da Casa Velha. Cobrindo o espaço de poesias espelhadas, se esparramando, crescendo e arrebatando a todos que sua escrita toca, Ananita Rebouças lançou seu livro Amores da Casa Velha, sob o selo da Litteris Editora e foi recebida com loas pelos leitores e críticos literários.

Os eventos, lançamentos, antologias e feiras das quais participou e participa, são enormes felicidades para esta poetisa ímpar, entretanto, ela admite que, por muitas vezes, se ausentou deles ou sofreu bastante para estar presente, já que é portadora de Transtorno Afetivo Bipolar e, por isso, muitas vezes, precisa lidar com crises que apresentam quadros que podem ser detectados como depressão, euforia, paranoia e/ou maníacas.

O Transtorno Bipolar (TB) não é considerado um transtorno de ansiedade, entretanto ele pode ocasionar crises de pânico durante determinados períodos. De acordo com a Associação Brasileira de Transtorno Bipolar (ABTB), o Transtorno Bipolar é caracterizado por acentuadas alterações no humor, alternando momentos depressivos com momentos de euforia, também chamados de “mania”.

Em entrevista ao Portal Balzaqueando, a escritora explica um pouco sobre o peso deste Transtorno em sua vida: “Ele influencia em meu humor, em como eu lido com as pessoas, me dá inspiração para escrever, mas me fragiliza muito também. Me coloca em situações vexatórias, muitas vezes em que perco o senso do ridículo ou o controle financeiro; mas atualmente eu já conheço o “bicho” e acho que lido melhor com as fases da doença.”

Aos 31 anos Ananita enfrentou o primeiro surto. Sem aceitar o diagnóstico, a poetisa lutou para ocultar que era portadora deste Transtorno. Entretanto, agora aos 43 anos, mais segura, a escritora decidiu modificar este cenário: “Decidi expor a doença a fim de combater o preconceito da sociedade e meu também”. Explicou.

Assim, mais livre e confiante, Ananita, além de apresentar seus sensíveis e belos poemas, por onde vai, também exorciza seus “monstros” falando do seu caso de Transtorno Bipolar abertamente.

E, ao decidir abraçar e viver sua verdade plenamente, mais um filho está nascendo, seu primeiro romance.

“Meu primeiro romance surgiu em meio a mais uma crise paranoica. Estava hospedada num lugar paradisíaco e cheia de paranoias na cabeça. Ao invés de aproveitar as férias coletivas de final de ano, me vi angustiada com meu namoro. A angústia aflorava. Saí pelo hotel ao invés de sair pela rua e comecei a escrever poemas em papeizinhos de um maço de lenços de papel que havia ganhado de presente de Natal. Aí surgiu a ideia do livro “Retalhos de Papel”.

Ao se conhecer, se descobrir verdadeiramente e aceitar suas limitações e seus pequenos “bichos”, Ananita Rebouças transformou seu Transtorno Bipolar em arte. Então, agora nos resta aguardar ansiosos por seu primeiro romance recheados de poemas desnudos, que são os toques mais marcantes desta talentosa poetiza.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *