Mulheres: Intenção de viajar sozinha cresce 22% no último ano

Por Renata Oliveira – renata.oliveira@balzaqueando.com

Estudo feito pelo Ministério do Turismo revelou que 17% das mulheres pretendem viajar sozinhas nos próximos seis meses, índice maior do que entre pessoas do sexo masculino

Sozinhas ou acompanhadas, viajantes não perdem a oportunidade de desbravar destinos, respirar novos ares e se aventurar. A vontade de conquistar o mundo tem inspirado cada vez mais mulheres a viajarem sozinhas. O desejo de viver novas experiências independe de ter ou não uma companhia.

O estudo Sondagem do Consumidor – Intenção de Viagem, do Ministério do Turismo, revela que 14% das mulheres que pretendem viajar nos próximos seis meses, e deverão fazê-la sozinhas, diferente do número verificado para o sexo masculino – 10,4%.

Os atrativos brasileiros é o destino de 62% das turistas, sendo que 71% delas deverão investir em viagens interestaduais.

O transporte aéreo mantém a liderança entre os meios de transporte preferidos. O avião deverá ser a escolha para 64,6% das entrevistadas. Seguido pelo carro 20,9% e pelo ônibus 7,2%.

Na hora de definir a forma de hospedagem, a maioria das mulheres, mais de 56%, deve optar por hotéis e pousadas, seguido da preferência pela casa de parentes e/ou amigos, que chega a 30%.

De acordo com um recente levantamento feito pelo site Airbnb, a Ásia é o continente que tem as mulheres mais aventureiras em comparação a qualquer outra região do mundo. No Japão, em Taiwan e na China, elas são a maioria entre as pessoas que fazem viagens internacionais sozinhas. A Rússia e o Brasil também estão entre os cinco países com mais mulheres que viajam por conta própria com destino a outros países.

As mulheres são figura central no desenvolvimento e fortalecimento do turismo, além de participarem ativamente da construção diária do nosso País. É preciso garantir que a mulher viaje cada vez mais,  seja acompanhada ou sozinha”, afirmou o ministro do Turismo, Henrique Eduardo Alves.

IMG-20141229-WA0018

A jornalista Rosana Almeida, 36 anos, uma viajante nata e desde muito cedo desbrava novos lugares sozinha:

Aos 15 anos troquei a festa de aniversário por uma viagem à Minas Gerais com a escola onde estudava. Aos 17 ganhei da minha mãe uma viagem ao sul do Brasil. Fui numa excursão organizada por uma agencia de viagem, sem conhecer ninguém e voltei com várias amizades.  Aos 25 fiz minha primeira viagem internacional com um grupo de amigos e descobri que o mundo era gigante e que eu podia ir além.  E continuo indo, com amigos, companheiros de viagem, mas grande parte das vezes sozinha.” – conta Rosana

Cada vez mais mulheres reafirmam sua independência, inclusive na hora de viajar. Não é preciso esperar por uma companhia para o passeio, para um novo desafio, elas assumem o controle de decidir o destino e a programação do passeio.

Sem medo de estar só ou de passar dificuldades culturais, por falta de domínio do idioma, Rosana revela que viaja muito e nem faz tanto planejamento quanto parece  para suas viagens, muito menos faz muitas economias. Ela se aventura mesmo:

“Normalmente planejo minhas viagens com 15 dias de antecedência, tempo suficiente para estudar onde quero ir e o quero conhecer. Muitas vezes nem isso, planejo somente passagem aérea (a parte mais cara da viagem), o hotel, hostel, casa de amigos, etc. É aproveitar e ter cuidados básicos, os mesmo que tenho nos lugares onde moro. E o resto? É pura intuição.” – revela a viajante que atualmente se aventura no Chile.

Rosana diz viajar só a permite fazer um exercício sociológico, entender a cultura, os costumes das pessoas que vivem ali, parar, avaliar, pensar, se adaptar ao novo. Será que faria esse mesmo exercício se estivesse viajando com alguém? Ela diz que é possível e já fez, mas com pessoas com as quais tinha total afinidade e que buscavam ter as mesmas experiências:

“Aprendi e gosto tanto de viajar sozinha, que viajar com amigos me distrai daquilo que experimento quando estou só. Na verdade, são experiências distintas, igualmente deliciosas.” – diz Rosana.

E será que depois de mais de 20 anos, essas aventuras terão fim? “Sempre me pergunto quando pararei de viajar. Acho que nunca! Um dia deixarei de viajar sozinha, para viajar com meus filhos e ensinar-lhes que um mundo é muito além daquilo onde estamos e a realidade que vivemos. Quero que cresçam com o coração e a mente aberta respeitando as diferenças e sabendo que os problemas são infinitamente menores que a quantidade de soluções que temos para seguir sempre adiante.” – planeja a viciada em viagem.

Próxima parada? Ela não sabe, mas desejamos Boa Viagem!

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *