O que fazer depois dos 30: Continue a nadar, continue a nadar

Por Carol Menesescarol.meneses@balzaqueando.com 

Muitas vezes as mulheres quando se tornam balzacas se sentem um peixe fora d`água e em alguns casos ela enfrenta uma certa crise. Mas como diria Dory do “Procurando Nemo”, o que se deve fazer quando se está em crise é continuar a nadar. E não existe lugar melhor para nadar do que na natação. Para explicar um pouco sobre esse assunto, conversamos com Suellen Lima, 34 anos e está prestes a completar 35, que além de ter voltado com as aulas de natação também participa de campeonatos. Inclusive o seu primeiro desafio em seu retorno foi nadar o Paraense Master com a amiga, Luana Galvão. Treinando 3 x antes do campeonato, a nadadora ainda conseguiu bater alguns recordes.

Para ela, a natação no passado era feita com mais seriedade e responsabilidade, treinava pesado, além de trocar festinhas e passeios por treinos e campeonatos, e o lado bom vinha através de viagens, troca de conhecimentos e contato com peesoas novas., enquanto que hoje em dia o esporte passou a ser um lazer, para desestressar e relaxar, além de ganhar mais tranquilidade, concentração e disposição. Para Suellen participar de campeonatos e ganhar algumas provas, após estar parada durante 17 anos, é uma grande superação, mas o melhor mesmo foi reencontrar seus amigos de infância.

O sonho da paraense em relação à natação é daqui a 5 anos poder nadar com seus filhos, e comenta que não pensa nenhum pouco em nadar profissionalmente. Suellen deixou um recado para as balzaquianas que pretendem voltar a fazer esse esporte, mas possuem um certo receio: “Meninas, voltem! Se superem, deem o melhor de si, se orgulhem dos resultados e sejam felizes. Voltar foi a melhor escolha que fiz e acredito que fará uma diferença enorme na vida de vocês também”.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *