Primeiro filho após os 30 anos estende longevidade da mulher

Por Fernanda Amorim – fernanda.amorim@balzaqueando.com

Nova pesquisa trouxe boas notícias para as mulheres que estão adiando a maternidade

O adiamento da gravidez é uma escolha muito comum das mulheres nos dias de hoje e os fatores para essa decisão são inúmeros: a estabilidade profissional, a espera por um relacionamento estável, o desejo de atingir segurança financeira, ou, ainda, a incerteza sobre o desejo de ser mãe. E se você escolheu esperar o momento certo, provavelmente já deve ter escutado muito de médicos, familiares ou amigos que a capacidade reprodutiva feminina cai depois dos 30 anos.

Contudo, uma nova pesquisa trouxe boas notícias para as mulheres que estão deixando a maternidade para mais tarde. De acordo com um estudo conduzido pela pesquisadora portuguesa Aida Isabel Tavares, da Universidade de Coimbra, mulheres que dão à luz seu primeiro filho após os 30 anos vivem mais.

Para chegar a essa conclusão, foram analisados dados de 2004 a 2013 de mulheres em 28 países europeus diferentes, comparando suas perspectivas de vida ao alcançarem os 65 anos e cruzando com a idade em que tiveram seu primeiro filho. Os resultados mostram uma relação até então desconhecida.

“Quanto maior a idade na época da primeira gravidez, maior a expectativa de vida da mulher aos 65. Ou seja, mais a mulher vive, o que justificaria promover a gravidez nesta década de vida para estender longevidade da mulher”, escreveu Aida.

Este novo estudo apoia pesquisas anteriores. Em 2014, um estudo publicado na revista Menopausa encontrou uma ligação entre o parto em uma idade mais avançada e longevidade, explicando que os traços genéticos podem desempenhar um papel.

Os pesquisadores descobriram que as mulheres que deram à luz seu último filho após os 33 anos de idade eram duas vezes mais propensas a viver para, pelo menos, 95 anos, em comparação com as mulheres que tiveram seu último filho aos 29 anos.

“Claro que isso não significa que as mulheres devem esperar para ter filhos em idades mais avançadas, a fim de melhorar as suas próprias chances de viver mais tempo. A idade no último parto pode ser uma taxa de indicador de envelhecimento. A habilidade natural de ter uma criança em uma idade mais avançada provavelmente indica que o sistema reprodutivo de uma mulher está envelhecendo devagar e, portanto, é o resto do corpo”, disse o autor do estudo Thomas Perls, professor de medicina na Universidade de Boston.

Além disso, os benefícios não são apenas para as mães. Segundo um estudo publicado em 2016 no Population and Development Review, mães mais velhas tendem a ter filhos mais altos e com melhor desempenho na escola e na faculdade.

Fonte: Minha Vida

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *