Game ensina crianças sobre Mundo Oncológico

Iniciativa de ex-pacientes de cancêr foi premiada em competição internacional de Games Independentes

unnamed
Danilo Costa (co-fundador da Mukutu), Gica Yabu (voluntária do Beaba), Ludmilla Rossi (CMO Mkt Virtual e co-fundadora da Mukutu), Yuliya Moshkaryova (produtora da Casual Connect) e Simone Mozzilli (CEO do Beaba) Foto: Divulgação

Empreendedoras brasileiras receberam um prêmio internacional na área de games. Ex-pacientes de câncer, elas fizeram parte da criação de um jogo on-line que ajuda crianças, adolescentes e seus familiares depois de um diagnóstico da doença.

Uma delas é Ludmilla Rossi, que teve um câncer raro na língua. Quando foi diagnosticada com um câncer raro, Rossi sabia que sua vida mudaria,  teve muita dificuldade de encontrar informações corretas e confiáveis,  medo do tratamento e o tabu sobre a doença ao invés de a desanimar, serviu de motivação para que ela adotasse uma postura otimista e encarasse a doença de forma destemida.

Foi pensando nesses desafios que, anos depois, durante o período de remissão, ela teve a ideia de criar um game para desmistificar o câncer para pacientes infantis, o Alpha Beat Cancer que é baseado na cartilha do Instituto Beaba, iniciativa criada por Simone Mozzilli, outra sobrevivente da doença.

 

O game Alpha Beat Cancer é gratuito e sem qualquer publicidade ou compras in-app, foi desenvolvido pela Mukutu, spin off de interatividade da Mkt Virtual, em parceria com o Instituto Beaba, ONG que desmistifica a doença para crianças, famílias e sociedade. No jogo, você pode se divertir atendendo pacientes, higienizando objetos ou fazendo procedimentos médicos, entre outras missões. Assim, através das diversas fases do jogo, a criança aprende os termos do mundo oncológico e se sente mais confiante para aderir ao tratamento.

O jogo abre o diálogo sobre um tema difícil e estimula que o assunto câncer seja discutido sem medo. É justamente essa conversa sobre o assunto e a redução do preconceito com o diagnóstico que leva à detecção precoce da doença, a maneira mais eficiente de salvar vidas.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *